Feeds:
Posts
Comentários

O Horas da Vida realizará, pela terceira vez, o Mutirão Oftalmológico Enxerga São Paulo. O evento acontecerá no dia 22 de março, no bairro do Campo Belo. A iniciativa terá a participação do Lar Sírio, Unibes e Associação Santo Agostinho e conta com as parcerias da Clínica de Olhos Abucham, que fornecerá os equipamentos para testes, Óticas Carol -  doação de óculos, e a Danone, com a oferta de lanche a quem aguarda atendimento.

A iniciativa tem o objetivo de atender o maior número de pacientes cadastrados nas instituições parceiras. As primeiras edições foram voltadas para a área oftalmológica, porém, em um futuro próximo, Dr. João Paulo Nogueira Ribeiro, criador do Horas da Vida, busca expandir as áreas e regiões do evento.

O 2º Mutirão Enxerga São Paulo contou com a participação do Lar Sírio, Unibes e Fundação Bachiana e atendeu o dobro de pacientes da primeira edição. Os atendimentos foram realizados pelo Dr. Sidney (meu Oftalmo! :D) e Júlio Abucham, com a ajuda dos voluntários do Horas da Vida e APFCC (Associação Paulista de Combate ao Câncer).

“Fiquei muito feliz com a realização do evento. Pude ver que estamos nos organizando cada vez mais e aprimorando o nosso atendimento. Foi muito gratificante ver a felicidade dos pacientes. Agradeço muito a todas as parcerias e os voluntários. O sucesso dos Mutirões e do Horas da Vida me deixa muito satisfeito e animado para promover mais ações em outras áreas da saúde ” declara Dr. João Paulo.

No Mutirão serão feitos os exames de acuidade visual, teste de desvio ocular e refrator automático. Quem apresentar alteração será encaminhado para a próxima etapa, com exames de dilatação das pupilas, grau dos óculos e fundo de olho. A triagem será realizada pelos profissionais do Horas da Vida e contará com o suporte de voluntários treinados e auxiliados pela Clínica de Olhos Abucham.

Está em cartaz, de 3 a 9 de fevereiro, no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo, o documentário Nem Sempre Me Vesti Assim, da diretora brasileira Betty Martins.

A ideia do filme surgiu a partir da experiência pessoal da diretora, que viveu 9 anos na Inglaterra e vivenciou o fenômeno do crescimento do uso do véu entre as mulheres, bem como os estereótipos negativos veiculados pela mídia, pela sociedade e por instituições políticas.

O documentário apresenta três mulheres muçulmanas de diferentes etnias que vivem no Reino Unido e que escolheram usar o véu, como um processo íntimo, concedendo a ele uma perspectiva crítica e particular.

O véu é um item que instiga sentimentos controversos e profundos. Seu uso e significado foi bem explorado durante a história. As mulheres muçulmanas que escolhem colocar o véu fazem parte de um fenômeno crescente. Olhando através de uma ótica ocidental, a pergunta que as pessoas fariam é: “Em um país livre, por que mulheres estão escolhendo usar o véu?”

De uma forma íntima e meditativa, essas mulheres muçulmanas refletem sobre questões relativas à memória cultural, identidade, censura, feminismo, política e mídia. Com um olhar voltado para o lado pessoal e experimental do uso do véu, este documentário é capaz de levantar questões e refletir sobre o tema enquanto desafia a percepção dos espectadores.

Vale a pena conferir! ;)

Serviço:

Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro

CEP: 01012-000 | São Paulo (SP)

(11) 3113-3651/3652

3 de fevereiro – 20h (exibição e debate)

5 a 9 de fevereiro – 12h30

website: d-aep.org/portfolio/i-wasn´t-always-dressed-like-this/

 

Por que as mulheres, hoje, são obrigadas a serem feministas? Eu sou porque quero, sou porque gosto. Apoio, defendo e luto pelos direitos das mulheres com unhas e dentes. Sou muitíssimo grata às que vieram antes de mim e me deram o direito de estudar, trabalhar, de hoje ter a minha empresa e ser de independente. Sou muito grata a elas por me permitirem ter opções, por eu não ser obrigada a me casar com o cara que escolheram para mim, por não precisar aceitar imposições de cabeça baixa e por poder expressar meus sentimentos e opiniões. Sou mesmo. E o que está ao meu alcance para defender e empoderar as meninas das próximas gerações, eu faço. 
Mas confesso: sou apaixonada pelas diferenças entre os gêneros. Somos diferentes e ponto final. O dia em que o homem deixar de ser homem e a mulher deixar de ser mulher, pra mim, o mundo perderá a graça. Veja bem: todas as pessoas são iguais em direitos e deveres, mas são completamente diferentes geneticamente, e, os gêneros, “cromossomicamente”. 
Por eu expor este meu pensamento e afirmar que gosto de ser bem tratada, bajulada e paparicada por um cavalheiro, por considerar o gênero feminino delicado e mais vulnerável, fui esculachada pelas redes sociais afora. 
Mas e se eu fosse machista? Não poderia ser? Por quê? Por que vivemos em um mundo onde somos obrigados a pensar como os outros, a defender o que os outros consideram correto? Se já sou atacada e xingada pelas outras mulheres só por eu pensar diferente delas, imagine se eu quisesse ser uma dona de casa submissa? Se eu quisesse depender do meu marido? Se eu quisesse viver apenas para meus filhos? A escolha seria minha, não? É o poder de escolha a maior conquista do feminismo.
Não sei se sou muito mal compreendida ou se as pessoas realmente não sabem o significado desta bandeira que tanto levantam. 

Obrigada.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) designou Zahle (Líbano) como novo membro da sua rede de “Centros Criativos”, na categoria “Gastronomia”.

Zahle
Os moradores de Zahle, no Líbano, estão felizes com a nova titulação de Cidade da Gastronomia da UNESCO. “Agora que estamos no mapa mundial da UNESCO, podemos trocar informações, ideias e experiências com outras cidades criativas”, disse Elise Tamer, conselho municipal de Zahle.
A UNESCO escolhe as cidades baseando-se em produtos distintos e singulares de determinadas regiões, que passam a ser protegidos e preservados pela agência. Há muitos campos de proteção como literatura, música, cinema, arte popular, arte de mídia e gastronomia.
A cidade de Zahle é a única cidade no mundo árabe a ser designada como Cidade da Gastronomia e, de acordo com Elise Tamer, este é um motivo de orgulho e responsabilidade para os cidadãos libaneses. Para atrair mais turistas no inverno, Zahle está projetando a realização de um Festival de Gastronomia, com seus pratos principais e com pratos de outras cidades libanesas. “A chave para alcançar as pessoas é através do estômago”, afirma Tamer.

zahle
A ligação de Zahle com os pratos tradicionais de entrada libanesa é com os antigos moradores, que adoravam beber Arak e se alimentar de pratos feitos em casa , como Hummus, Fattoush e Labneh.
A cidade de Zahle está situada em uma região antiga, que remonta a 5 milênios. Sua localização estratégica formou uma área nobre para comerciantes da Síria e do Iraque. Zahle sempre foi uma cidade onde viajantes paravam e trocavam ideias sobre alimentos.

Parabéns, Zahle! Parabéns, Líbano!

Zahle

Saiba mais sobre as cidades criativas da UNESCO aqui.

A música desta semana é do meu cantor libanês favorito.

Foi a primeira música árabe que aprendi a cantar inteirinha e certinha. :P

A letra é linda, o cantor é um gato.

Quer saber a tradução?

Então vamos lá…

Enquanto você partir, não se vire para trás.

Eu tenho medo que, neste momento, meu coração se quebre.

Você prefere ficar ou ir embora, minha alma está inquieta com você.

A ferida tornou-se uma amiga para mim, por eu estar tão machucado.

Eu e minha ferida nos tornamos mais que amigos.

Eu me despedi silenciosamente de você. Eu não falei nem ouvi você.

E antes de eu te tirar do meu coração, você voltou para ele.

Você é o meu destino e eu não posso fugir do meu destino.

Você é a minha visão e eu não posso perder a minha visão.

Sua lágrima caiu como uma faca em meu coração.

Você prefere ficar ou ir embora, minha alma está inquieta com você.

A ferida tornou-se uma amiga para mim, por eu estar tão machucado.

Eu e minha ferida nos tornamos mais que amigos.

Enquanto você partir, não se vire para trás.

Eu tenho medo que, neste momento, meu coração se quebre.

Com a presença de seus respectivos diretores, filmes premiados em festivais internacionais como La Jaula de OroWakoldaPelo Malo Habi, A Estrangeira integram a programação deste ano

A 37ª Mostra Internacional de Cinema exibe, em estreia no Brasil, um conjunto de filmes latinos, entre os quais, o concorrente argentino à indicação de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2014, Wakolda, de Lucía Puenzo; o vencedor do Prêmio de Melhor Filme no Festival de San Sebastián 2013, Pelo Malo, da venezuelana Mariana Rondón; o premiado com Melhor Direção no mesmo festival, do diretor mexicano Fernando Eimbcke,  Club Sandwich; também do México, La Jaula de Oro, de Diego Quemada-Díez, ganhou o prêmio especial para o Elenco do filme no Festival de Cannes 2013; e Habi, a Estrangeira, de Maria Florência Álvarez, uma co-produção Argentina/Brasil que integrou a seção Panorama no Festival de Berlim 2013.

Você pode conferir a programação completa aqui, por data ou por filme.

A lista de filmes latinos abrange mais de duas dezenas de produções dos seguintes países:

ARGENTINA

El Crítico, de Hernán Guerschuny, 2013

Ricardo Bär, de Gerardo Naumann, Nele Wohlatz, 2013

Los Tentados, de Mariano Blanco, 2013 (Presença do diretor de 17 a 27 de Outubro)

Habi, a Estrangeira, de María Florencia Álvarez, 2013 (Presença da diretora de 20 a 23 de Outubro e da atriz Maria Luísa Mendonça no dia 20 de Outubro)

Wakolda, de Lucía Puenzo, 2013

As Borboletas de Sadourni, de Dario Nardi, 2012 (Presença do diretor de 28 de Outubro a 1º de Novembro)

BOLÍVIA

Um Minuto de Silencio, de Ferdinando Vicentini Orgnani, 2013 (Presença do diretor de 19 a 27 de Outubro)

CHILE

Las Analfabetasde Moisés Sepúlveda, 2013 (Presença do diretor de 17 a 21 de Outubro)

Sou muito melhor que vocês, de Che Sandoval, 2013

El Gran Circo Pobre de Timoteo, de Lorena Giachino, 2013

Caleuche, O Chamado do Mar, Jorge Olguín, 2013

O Verão dos Peixes-Voadores, de Marcela Said, 2013 (Presença do produtor, Bruno Bettati, de 21 a 25 de Outubro)

COLÔMBIA

Roade Andrés Baiz, 2013

CUBA

Melaza, de Carlos Lechuga, 2012

EQUADOR

Saudadede Juan Carlos Donoso Gomez, 2013 (Presença do diretor de 17 de Outubro a 2 de Novembro)

MÉXICO

O Fantástico Mundo de Juan Orol, de Sebastiam Del Amo, 2012

Nunca Morrer, Enrique Rivero, 2012

La Jaula de Oro, Diego Quemada-Díez, 2013 (Presença do diretor de 27 de Outubro a 2 de Novembro)

Club SandwichFernando Eimbcke, 2013

Las Horas MuertasAaron Fernandez, 2013 (Presença do diretor de 29 de Outubro a 1º de Novembro)

PERU

CasadentroJoanna Lombardi, 2013 (Presença da diretora de 18 a 22 de Outubro)

URUGUAI

O Lugar do FilhoManolo Nieto, 2013 (Presença do diretor de 20 a 23 de Outubro)

SoloGuillermo Rocamora, 2013 (Presença do diretor de 17 a 21 de Outubro)

VENEZUELA

Pelo MaloMariana Rondón, 2013 (Presença da diretora de 20 a 27 de Outubro)

Desapega!

Sou louca por compras online. Só saio de casa para comprar alguma coisa se for urgente. Maquiagem, roupas, eletrônicos, livros… Compro tudo pela internet. Até supermercado eu faço online.

Mas, até então, eu nunca tinha pensado em vender alguma coisa. Esses dias eu arrumei os armários e encontrei objetos ainda na embalagem, roupas ainda com etiqueta e várias outras coisas que eu nunca usei e nunca vou usar. Meus armários estão abarrotados, tanta gente pode estar precisando justamente do que eu tenho e não uso, não é mesmo? Por isso, eu me perguntei: pra que guardar tanta coisa, Luciana?

Ah, fiz uma rapa geral! Separei um monte de coisa para doar e mais um monte que pretendo vender: as roupas e sapatos vou levar para a minha paróquia, para que eles entreguem às pessoas carentes; aquele monte de maquiagem nova, CDs e DVDs que nem abri e mais uns acessórios eletrônicos dos quais não preciso, vou colocar à venda na internet (logo mais eu posto o link aqui no blog, caso alguém se interesse – assim que eu terminar de fotografar tudo).

Pesquisando sobre a plataforma para disponibilizar meus objetos à venda, lembrei da OXL, a maior página web de anúncios classificados gratuitos do mundo. “Celebridade vende, mas na OXL vende muito mais” ficou na cabeça, né? É que a empresa já conquistou o mercado televisivo com três comerciais bem divertidos (aqueles com Sabrina Sato, Preta Gil e Fabio Pochat). Já viu? Se não, aí vão eles:

A OLX é utilizada em mais de 96 países e em 40 línguas. Foi criada na Argentina, em 2006, com o objetivo de proporcionar uma solução simples, rápida, eficaz e segura para a compra e venda de bens e serviços, independentemente da localização de seus utilizadores.

Fotografou, publicou, desapegou. Se é tão simples assim, não custa nada colocar minhas coisas lá. Dá até pra fazer um dinheirinho! :)

Desapega, Luciana!

Desapega você também! ;)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 28 outros seguidores