Feeds:
Posts
Comentários

 

Evento beneficiará a organização Médicos Sem Fronteiras e movimentará toda a rede de restaurantes em prol da causa

O Outback Steakhouse realizará no dia 8 de outubro o Bloomin’ Day, data especial em que a renda líquida arrecadada com as vendas da tradicional cebola gigante e dourada da casa, a Bloomin’ Onion®, é doada para uma organização não governamental e sem fins lucrativos e que apoiem causas relevantes para a comunidade. Em sua 9ª edição, a ação social, mais uma vez, beneficiará Médicos Sem Fronteiras (MSF), organização humanitária internacional independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam sem discriminação de raça, religião ou convicções políticas.

Para que seus clientes possam demonstrar apoio à causa, o Outback incentivará o envio de mensagens especiais, destinadas aos profissionais que fazem parte da organização. As mensagens poderão ser compartilhadas nas redes sociais com a hashtag #BloominDay. Após o evento, a rede de restaurantes enviará a MSF um livro reunindo uma seleção das melhores mensagens e imagens.

A organização Médicos Sem Fronteiras atua em situações de conflitos armados, epidemias, catástrofes naturais, desnutrição e exclusão do acesso à saúde. Em contextos que envolvem conflitos, as equipes levam assistência médica às pessoas mais vulneráveis, independentemente do lado do embate em que estejam. Nas emergências causadas por desastres naturais, quando as estruturas de saúde são atingidas ou ficam sobrecarregadas, profissionais são rapidamente enviados ao local da catástrofe. Em 1999 a MSF recebeu o premio Nobel da Paz, selecionada “em reconhecimento ao trabalho humanitário pioneiro em diversos continentes”.

“Esse tipo de parceria que nós selamos com o Outback é muito importante para Médicos Sem Fronteiras. Além do dinheiro arrecadado, fundamental para a manutenção dos nossos projetos, essa iniciativa nos permite levar informações sobre os contextos nos quais atuamos para os colaboradores do Outback e para os consumidores”, diz Susana de Deus, diretora-geral de Médicos Sem Fronteiras Brasil.

A ação acontecerá em todas as unidades brasileiras da rede. “Essa será uma data muito especial, pois teremos a oportunidade de unirmos esforços para uma causa tão importante e ética como a da organização Médicos Sem Fronteiras. Temos certeza que a comunidade, assim como a família Outback, abraçará esse projeto e fará desse evento um grande sucesso”, afirma Atila Noronha, COO do Outback Brasil.

 

Sobre o Outback Steakhouse

A rede Outback Steakhouse possui 61 restaurantes no Brasil, está presente em 28 cidades, 12 Estados brasileiros e Distrito Federal. No mundo está em 22 países entre Europa, Américas, Ásia e Oceania. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em 1997. Com seus cortes de carne especiais e aperitivos icônicos como a Bloomin’ Onion®, o Outback caiu no gosto do brasileiro graças à qualidade, fartura e sabor marcante da culinária oferecida somados à descontração no atendimento e às instalações aconchegantes.

 

Sobre Médicos sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional que leva ajuda médica de emergência a vítimas de conflitos armados, epidemias, desastres naturais e exclusão do acesso à saúde. Criada em 1971 por médicos e jornalistas, a organização também tem o compromisso de denunciar o sofrimento das pessoas que atende e os obstáculos encontrados na tentativa de oferecer ajuda. Em 1999, recebeu o prêmio Nobel da Paz. Médicos Sem Fronteiras tem hoje escritórios em 28 países, incluindo o Brasil, e projetos de ajuda médica em cerca de 70 países.

Hoje eu posso dizer que sou uma pessoa plenamente feliz. Não me falta nada.

Eu realmente acreditava que a verdadeira felicidade vinha com fama, sucesso, com um apê na cobertura, com o carrão do ano, com viagens pelo mundo todo, com cirurgias plásticas e com tudo que o dinheiro pode comprar. Acreditava que eu só seria feliz quando realizasse os meus sonhos de me casar, ter filhos, ficar rica e gostosa. Sempre busquei a felicidade onde ela nunca estaria. Busquei a felicidade nos momentos efêmeros de alegria e diversão, nos bares, em noitada “legendary”, nos vários caras por quem me apaixonei ao longo do tempo, em dinheiro, em compras, posses, compras, posses, compras…

Eu acreditava piamente naquele papo de que a felicidade não existe, que uma vida feliz é feita só de momentos felizes e que ninguém pode ser feliz o tempo todo. Quão enganada eu estava (e quantas pessoas também estão)! Só hoje eu posso dizer que não, não me falta nada, absolutamente nada.

E não me falta nada porque eu conheci e senti o verdadeiro significado da paz e do amor (e, consequentemente, da felicidade). Sendo plenamente feliz, eu não preciso de nada do que eu citei acima. A paz me preenche, o amor me alimenta.

Pare de dar ouvidos a essas bobagens de que felicidade é utopia! A felicidade plena existe, sim! A verdadeira felicidade está presente até nos momentos tristes. A tristeza de uma pessoa realmente feliz não toma conta de sua vida, de seus atos, de seus pensamentos. A tristeza de uma pessoa feliz não a aprisiona. Ela vem e passa – e ainda ficamos (nós, os felizes) gratos por ela.

Não estou aqui com aquela conversa de “eu era um bêbado e vivia drogado/ encontrei Jesus”, não. Também não estou aqui pra dar testemunho e, mesmo que você não acredite em nada ou não tenha uma religião, não caçoe de mim. Hoje eu só quero compartilhar com você o motivo de eu ter mudado tanto e de eu estar tão bem, como nunca (nunca!) estive durante os meus 31 anos. Portanto, se você, lá no seu íntimo, não se sente uma pessoa feliz, leia até o fim o que tenho para lhe contar.

Ah, como eu gostaria que todos os meus amados fossem felizes como eu sou agora! É uma pena que falar, escrever ou contar sobre a minha experiência, muitas vezes afaste tantas pessoas. Quem não é feliz não gosta de gente feliz. Só se incomoda com a felicidade dos outros quem ainda não conheceu a felicidade. E a felicidade é puro fruto do amor. Não falo de amor humano, não. Falo de um amor maior: o amor divino, o amor completo. Amar o amor que Deus nos ensinou é o que nos completa. Como eu queria poder colocar um pouquinho do que sinto no coraçãozinho de cada amigo meu, para que eles entendam o que estou dizendo. É muito difícil, em palavras, descrever o que é a paz, o que é o amor. Só entende quem sente. E olha que, muitas vezes, a gente acha que sente, mas está enganado.

Eu me dei conta de que estou vivendo esta felicidade há tempos no momento em que, hoje, na Santa Missa, uma pessoa foi rude comigo – ela estava irritada com sua mãe, uma senhora muito velhinha que deve dar bastante trabalho. Em vez de sentir raiva, eu senti compaixão (eu não sentiria assim se isso tivesse acontecido dois ou três anos atrás – eu pensaria um palavrão e fecharia a cara). Me coloquei no lugar dela e chorei. Durante a comunhão, eu me esqueci de mim e rezei por ela, pela vida dela, pela felicidade dela e pela mãe dela. Que gratidão ter uma mãe tão velhinha! Por que eu amei aquela mulher que foi rude comigo? Porque eu entendi a Palavra de Jesus. E naquele momento eu percebi que há tempos estou completa. Nunca mais eu senti raiva, nunca mais eu senti inveja, nunca mais eu senti descaso por ninguém. Já nem lembro quando foi a última vez que tive um sentimento ruim por uma pessoa. Caramba! É isso! Felicidade é isso! É amar sempre, só amar!

Quando não temos sentimentos ruins, nenhum mal nos abala. E como é bom viver assim! Ah, se eu soubesse que era tão simples!

Quando a gente se dá conta de algo e reflete sobre isso, a cabeça viaja no tempo e no espaço, né? Então eu comecei a ver o filme da minha vida e me lembrei de cada vez que a angústia tomou conta de mim porque eu não consegui realizar algo que eu queria. Lembrei das vezes em que eu não estava afim de levantar da cama e pensava que a vida já poderia terminar. Aí eu olhei pra trás, hoje, na mesma Missa, e vi a Irmã Regiane, Carmelita Mensageira. Havia muito tempo que eu não a encontrava. Ela nem imagina, mas eu tenho um carinho tão grande, mas tão grande por ela! Hoje, quando me dei conta dessa tal felicidade, esse carinho aumentou. Eu olhei pra ela e me lembrei de um momento que aconteceu em 2012. Eu estava muito triste, passando por uma crise existencial, em dúvida sobre o que eu queria para o futuro e questionando: “Por que, Deus? Por que essas coisas acontecem comigo?”. Naquele dia, eu ajoelhei-me na Igreja e desabei. Chorei, chorei, chorei até meus olhos quase não abrirem de tão inchados. A Irmã Regiane me pegou pela mão, me abraçou e disse: “Vou rezar por você e pela sua família”. Aquela época marcou o começo da mudança. Tudo o que aconteceu a partir dali construiu o que vivo hoje. Quando olhei pra ela, hoje de manhã, eu agradeci. Do fundo do meu coração, eu agradeci a ela e a Deus.

Foi em 2012 também que o Padre Marcio me convidou a participar mais das atividades da Igreja. Por causa disso, desde então, eu “sou obrigada” a ler o Evangelho todos os dias. Que bem que me faz! Em 2013, eu participei da Jornada Mundial da Juventude (o evento que trouxe o Papa Francisco para o Rio de Janeiro) e foi lá que eu senti a paz do Espírito Santo pela primeira vez. Por mais que eu tenha sido católica a vida inteira, eu nunca havia sido realmente tocada pelo fogo do Espírito Santo. Eu não tinha tanta fé, eu duvidava de muitas coisas, não concordava com outras e achava tudo do mundo bem mais divertido que as coisas da Igreja. De lá pra cá eu comecei a ver o quão divertidos são os momentos na fé. Ah, se eu soubesse disso antes! Minha avó falava, algumas pessoas falavam, mas eu nunca dei ouvidos a ninguém. Eu cumpria a minha obrigação de católica frequentando a Missa aos domingos e só. Eu não fazia ideia de que participar ativamente da Igreja fosse tão bom, tão gratificante e tão realizante.

Às vezes eu olho as meninas coroinhas, o grupo de jovens, e me bate um arrependimento de não ter participado dessas coisas desde pequena. Mas eu sei que tudo acontece na hora certa. O tempo de Deus é o tempo de Deus. Só Ele sabe o momento em que deve tocar alguém. Por isso eu não fico triste por não ter estado mais presente.

O Evangelho de hoje fala justamente sobre isso. Hoje, o Evangelho fala da parábola do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. “Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia, e os mandou para a vinha. Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo, viu outros que estavam na praça, desocupados,e lhes disse: ‘Ide também vós para a minha vinha! E eu vos pagarei o que for justo’. E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde, e fez a mesma coisa. Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça, e lhes disse: `Por que estais aí o dia inteiro desocupados?’ Eles responderam: `Porque ninguém nos contratou’. O patrão lhes disse: `Ide vós também para a minha vinha’. Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: `Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos,
começando pelos últimos até os primeiros!’ Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde e cada um recebeu uma moeda de prata. Em seguida vieram os que foram contratados primeiro, e pensavam que iam receber mais. Porém, cada um deles também recebeu uma moeda de prata. Ao receberem o pagamento,
começaram a resmungar contra o patrão: `Estes últimos trabalharam uma hora só,
e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro’. Então o patrão disse a um deles: `Amigo, eu não fui injusto contigo. Não combinamos uma moeda de prata? Toma o que é teu e volta para casa! Eu quero dar a este que foi contratado por último o mesmo que dei a ti. Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?’ Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos’.” (Mt 20,1-16a). E assim é o Reino dos Céus.

Eu posso ter pecado a vida inteira e só há um ano ter percebido de verdade a importância de Deus na minha vida. Por isso eu receberei menos graças que quem está na Igreja há tantos anos? Não. As graças de Deus são para todos. Inclusive para você, meu caro amigo. Abra seu coração como eu fiz. Experimente ser feliz como eu sou hoje. Eu boto a minha mão no fogo! Você não vai se arrepender. Experimente pedir a Deus, esta noite, que Ele te toque. Peça a Ele a Sua graça.

Hoje eu entendi o que é a graça de Deus. A felicidade é um dom maravilhoso que só pode ser alcançado quando estamos próximos de Cristo. Sentir o coração cheio de paz é a melhor sensação que existe no mundo inteirinho!

Em tudo que eu tenho realizado eu vejo a mão de Deus. Tudo que eu realizar será com a graça Dele. Tudo o que me acontecer será porque Ele quer o meu bem, a minha felicidade. E tudo me acrescentará. “Nada poderá me abalar, nada poderá me derrubar, pois minha força e vitória têm um nome – e é Jesus”. Que gratidão que eu sinto! E como isso é maravilhoso!

Ao final da Missa de hoje, eu abracei o Padre Claudio e disse: “Obrigada por esta missa tão linda!”. E ele me respondeu: “É tão bom ficar próximo de Deus, não é? É tão bom sentir este amor!”.

Sim, padre. É.

Hoje eu sou feliz. Plenamente feliz. E não me falta nada.
Experimente ser feliz também. :)

Programa de capacitação profissional abre inscrições para cursos gratuitos de Bartender em São Paulo

 

O programa Learning for Life (Aprendendo para a Vida) está com inscrições abertas para novas turmas do curso de Bartender, em São Paulo. O projeto, promovido pela DIAGEO, líder mundial na produção de bebidas alcoólicas premium que inclui marcas como SMIRNOFF®, JOHNNIE WALKER®, YPIÓCA®, BAILEYS® e GUINNESS® entre outras,  em parceria com a Colmeia, é voltado para jovens e adultos entre 18 e 35 anos com baixo poder aquisitivo. As inscrições podem ser feitas até o dia 21 de setembro, por meio do site: www.colmeia.org.br

O curso engloba conhecimentos específicos para o exercício da profissão, além de valores fundamentais, como ética, respeito e responsabilidade. Ao final do curso, os estudantes do programa estarão capacitados para trabalhar nos estabelecimentos da região.

Proporcionar aos jovens a chance de aprender uma profissão e conseguir o primeiro emprego são os principais objetivos do Learning for Life. “O Learning for Life busca promover a  profissionalização de jovens para a entrada no mercado de trabalho ou a especialização daqueles que já trabalham, garantindo uma fonte de renda e melhor qualidade de vida”, explica Grazielle Parenti, diretora de relações corporativas da DIAGEO.  Os estudantes podem, inclusive, realizar estágios em estabelecimentos parceiros da iniciativa.

Serviço:

Cursos de Bartender Programa Learning for Life

Inscrições: www.colmeia.org.br

Início: 22/09

Parceiro: Colmeia | R. Marina Cintra, 97 (altura do 4.800 da Av. Nove de Julho)  – Tel: (11) 3881-1545

Adoro a banda mexicana Camila (mesmo achando este nome meio estranho para um grupo de três homens). Conheci a música De Que Me Sirve La Vida (letra aqui) há pouco tempo – apesar de ter sido lançada em 2012 – e agora ela não sai do repeat. O clipe é bem fofo também. :)

Confira:

Beijoca.

Apaixonada pela voz do americano Anthony Hamilton e, principalmente, pela música Do You Feel Me? (letra aqui).

Enjoy! :)

Beijoca.

No começo da semana, o Movimento Palestina para Todos, organizou uma vigília pelos mortos em Gaza.

Foto: Aline Baker

Foto: Aline Baker

Na página do evento, dezenas de brasileiros chegaram para discutir com os participantes, em defesa de Israel, afirmando que o país só está se defendendo. Brasileiros defendendo Israel… Brasileiros que, teoricamente, não têm nada a ver com isso, defendendo um governo que comete CRIMES DE GUERRA, como o uso de fósforo branco.

4

Fósforo branco

Brasileiros defendendo um lugar onde o seu povo leva sofá e pipoca para o morro para assistir às bombas caindo em Gaza.

Israel

Um lugar onde as crianças são educadas pelo ódio; onde, se você perguntar a uma delas o que ela quer ser quando crescer, ela responderá “quero matar árabes”.

israel kids israel kids israel kids israel kids

israel kids

Aqui está o vídeo:

Como? Como defender um povo que estimula o ódio nas crianças?

israel kids bombs

“From Israel with love” – crianças israelenses assinam os mísseis que serão jogados sobre Gaza, assim como fizeram na guerra contra o Líbano em 2006

Aproveitando que hoje é o #MandelaDay, relembremos uma de suas famosas citações: “ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”. Mas não. Não existe amor no vocabulário dessa gente. A única coisa que as crianças israelenses aprendem é a odiar os árabes.

 

Atenção: não estou falando de religião aqui. Minha repulsa por Israel nada tem a ver com a religião judaica (quero deixar claro, já que venho falando sobre Palestina há tempos – e perdendo algumas “amizades”). E tenho visto muito judeu pró-Palestina – o que me deixa um tanto feliz. Estou falando de terrorismo mesmo.

Enquanto a imprensa manipuladora do Ocidente (como a nossa querida Rede Globo, que adora fazer a caveira do povo árabe) faz todo mundo acreditar que o culpado de tudo são os árabes e o Hamas – e que Israel está só se defendendo -, a verdade é que este é o grupo de defesa dos palestinos. “Ai, o Hamas mandou a população ser escudo humano blá blá blá”… A Palestina, diferente de Israel, não tem exército. A Palestina não tem armamento vindo do mundo inteiro. Gaza não tem exército, força aérea ou marinha. Israel é a quarta potência militar do mundo. Ué, o Brasil não pede que os jovens se alistem? O Hamas também pede que os palestinos defendam seu território e o seu povo. Que fique claro: o Hamas concorreu às eleições e venceu por maioria de votos – não são “terroristas assumindo o poder por conta própria”.

Além do mais, o terrorismo não é um ato árabe, como o mundo inteiro pensa (e a imprensa julga). O ataque indiscriminado a alvos civis para causar terror foi algo muito praticado pelos judeus entre 1910 e 1950. No entanto, enquanto movimentos populares, partidos políticos e grupos de resistência árabes são condenados por unanimidade pelas potências ocidentais, os movimentos terroristas judaicos (tratados na história hoje como heróis) tiveram total apoio dos Estados Unidos e do Reino Unido com armas, logística e equipamentos. Apoio, aliás, que os governantes israelenses violadores dos Direitos Humanos atuais também possuem.

israel palestina

Outra prática vergonhosa e muito utilizada por Israel e outras potências imperialistas são os auto-atentados, ou seja, provocar ou simular um incidente para que ele seja utilizado como justificativa para ataques a outras nações ou grupos. Esta tática para garantir apoio popular local e internacional foi muito utilizada na história deste país. Basta lembrar do caso de 2006, onde foi divulgado que um “cidadão israelense”, Gilad Shalit, havia sido sequestrado pelos terroristas do Hamas na Faixa de Gaza, dando início à Guerra em que Israel matou milhares de civis, tomou diversos territórios palestinos na Cisjordânia e tentou tomar o Líbano! Depois não tiveram como esconder o fato de que Gilad Shalit era um soldado israelense, infiltrado no território palestino para espionar e divulgar a localização de lideranças do Hamas (partido eleito democraticamente para o governo da Faixa de Gaza) para bombardeio às suas casas posteriormente. (Thiago Ávila)

Agora preste a atenção:

Além do bloqueio marítimo, Gaza sofre também bloqueio aéreo, terrestre e econômico. A região tem seus recursos naturais (como 75% da água) usurpados. Diversas entidades de defesa dos direitos humanos qualificam o bloqueio à Faixa de Gaza como “desumano” e “cruel”. A Anistia Internacional chamou o bloqueio de “punição coletiva”, que resulta em uma “crise humanitária“.

Nessas condições, a maior parte dos especialistas em direito internacional julga legítimo para um povo defender-se inclusive com o uso da força, de acordo com a resolução 478 do Conselho de Segurança da ONU. A resistência à ocupação é permitida pelo direito internacional. A ocupação de Israel, o cerco e a punição coletiva de Gaza, não. Os palestinos NÃO TÊM os mesmos direitos que os judeus em Israel, o que fere o princípio democrático da igualdade. Você acha esta guerra justa?

Os habitantes de Gaza vivem, em média, pior do que viviam na década de 1990. Vinte e um por cento estão em profunda pobreza, em comparação com 7,8% na Cisjordânia. A taxa de desemprego é de 40,8%, significativamente maior do que na Cisjordânia. Particularmente preocupante é a alta taxa de desemprego entre os jovens, que passa de 50% em Gaza. [...] Os cortes de energia são uma ocorrência diária em Gaza. O território recebe a maior parte de sua energia de Israel. Há também a produção da única usina elétrica de Gaza e uma pequena quantidade do Egito. No entanto, isso é menos do que suas necessidades atuais. [...] Cerca de 340 mil pessoas na Faixa de Gaza foram obrigadas a consumir água potável de qualidade inaceitável em 2013, segundo a ONU. Fonte: BBC

Além disso, repito, Israel comete reiteradamente crimes de guerra, como o uso de fósforo branco, condenado pela convenção de Genebra, porque sua ação é imprecisa (atingindo civis) e provoca sofrimento inominável em suas vítimas (que são queimadas vivas). Israel também utilizou munições “cluster” (“de fragmentação”) que potencializam o número de mortes e não possuem precisão. Essas ações são CRIMES DE GUERRA contra civis, CRIMES CONTRA A HUMANIDADE, e poderiam muito bem ser denominadas de “ações terroristas”. O ataque começou porque o Hamas se aliou ao governo de unidade palestino (formalizando uma aliança com o Fatah).

Hoje, o Hamas já aceitou negociar nos termos propostos pela ONU. É Israel quem se recusa, por querer manter os territórios ocupados. O Hamas não aceita a legitimidade de Israel (e isso não é condição para a paz), mas aceitaria a existência de Israel, desde que as fronteiras de 67 fossem respeitadas. Israel nunca deixou de avançar sobre a Palestina, mas as pessoas cegas e manipuladas ainda insistem em dizer que Israel está só “defendendo seu território”. AVANÇAR não é defender.

israel palestina map

Entenda:

A região da Palestina, que fora ocupada pelos árabes a partir de 636 e incorporada pelo Império Turco-Otomano em 1517, ficou sob o controle do Reino Unido em 1917, após a 1ª Guerra Mundial. Posteriormente, cresceu tanto a imigração judaica à região (estimulada pela perseguição nazista na Europa e pelo movimento sionista) quanto a insatisfação árabe pelo domínio britânico. Após a 2ª Guerra, a ONU aprovou, em 1947, a partilha da Palestina em dois Estados, um judeu e um árabe, plano rejeitado pelos árabes.

Após guerra entre 1948 e 1949, Israel passou a ocupar 77% da Palestina, e o Egito assumiu o controle de Gaza. Mas o território costeiro foi capturado por Israel durante a Guerra dos Seis Dias de 1967.

Em 2005, Israel retirou dali suas tropas e cerca de 7 mil colonos.

Um ano depois, o grupo militante islâmico Hamas venceu as eleições legislativas palestinas. Ele governou Gaza de 2007 a 2014 após uma disputa violenta com a facção rival Fatah, do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Quando o Hamas assumiu o poder em Gaza, Israel rapidamente impôs um bloqueio ao território, restringindo a circulação de mercadorias e pessoas. O Egito bloqueou a fronteira sul de Gaza. Fonte: BBC

Gaza

Além do mais, pedir para que os palestinos deixem suas casas não adianta nada. Para onde eles vão fugir?

 

muro palestina

E matar crianças é realmente se defender? É acabar com o “terrorismo árabe”? Vidas não são números. Vidas são vidas. E já se foram 294 vidas palestinas até agora, durante este genocídio.

gaza kids

Finalizo este post com um pedido: assista ao documentário “Cinco Câmeras Quebradas” e entendam como é a vida de um palestino:

E se você, defensor dos terroristas israelenses vier me atormentar aqui, saiba que vou ignorá-lo. :)

Defender a Palestina não significa que sou anti-semita. Significa que sou humana.

mandela palestinaObrigada.

Naomi Wachira cresceu no Quênia, mas vive em Seattle, nos Estados Unidos.

Nomeada a melhor cantora Folk pela Seattle Weekly, Naomi mostra a música africana feita para o mundo ocidental.

Confira African Girl, de seu primeiro disco, lançado no ano passado:

Viciei! <3

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 9.313 outros seguidores